Image is not available
20 NOV - 19H
ABERTURA OFICIAL PLATEAU

SESSÂO DE ABERTURA
CABO VERDE: UMA HISTÓRIA IMERSA. Realizaçao: Emanuel C D’Oliveira (Monaya) e Erwan Savin
Slider

ESTÁ TUDO A POSTOS PARA O ARRANQUE DO PLATEAU

0
0
0
s2smodern

A organização do Plateau - Festival Internacional de Cinema da Praia, que tem lugar entre os dias 21 e 30 deste mês, reuniu-se esta sexta-feira, 14, com a imprensa na Sala de Munícipes, do Paços do Concelho da Praia para, entre outras coisas, fazer o ponto da situação dos preparativos e antevisão deste acontecimento inédito, na Capital do País.

Relativamente aos preparativos, Ivan Santos, diretor executivo do festival, garante que está tudo a postos para o arranque do evento. "A logística está sendo montada e estamos a ultimar os preparativos para o arranque do festival", disse o diretor do certame, que apela a presença maciça de todos os munícipes e amantes da sétima arte. "Informamos, ainda, às pessoas que o festival é gratuito e que devem levantar os seus bilhetes nos serviços da Câmara Municipal da Praia ou no Palácio da Cultura Ildo Lobo, em ordem a facilitar o controlo das lotações de espaços", assevera aquele responsável que se mostrou expectante que este festival corra bem. 

Segundo a programação que será disponibilizada à imprensa e ao público em geral, nos próximos dias, o Cinema da Praia é palco de exibição da maioria dos filmes. Entretanto, Cine-Praia e Palácio de Cultura Ildo Lobo são, igualmente, espaços para mostras de vários filmes competitivos e não competitivos. Durante o festival vão, igualmente, acontecer sessões de formação em workshops e masterclass orientadas por especialistas convidados, de renome internacional. 

Dos 31 filmes inscritos, 26 foram escolhidos para a mostra competitiva. Deste número, 11 filmes têm a chancela nacional. Os restantes são de produção de países como: Portugal, Brasil, Espanha, França, Reino Unido e Índia. A comissão organizadora convidou, ainda, 35 filmes de realizadores e produtoras nacionais e estrangeiros, destinados às mostras não competitivas.

Todos os participantes já confirmaram a sua presença e começam a chegar ao País, na próxima semana. 

O objectivo deste festival prende-se, por um lado, com “a exibição pública de filmes de todo o mundo não distribuídos nem exibidos nas salas de cinema da Praia” e, por outro, “ajudar no desenvolvimento e promoção do cinema nacional, incentivar e dinamizar atividades relacionadas com o audiovisual na cidade da Praia”, lê-se no regulamento do festival disponível no site: www.cineplateau.cv e no facebook: #Plateau.

Os filmes destinados às mostras competitivas vão ter que passar por um crivo de jurados, composto por o conhecido cineasta e realizador, americano-cabo-verdiano, Guenny Pires, que preside, o sociólogo e deputado nacional, Abraão Vicente, Balufu Kanyinda, realizador, do Congo, o português, António Loja Neves, crítico cinematográfico e realizador e o moçambicano, João Sodré realizador português.

Instado a responder se este festival é para continuar e porquê da escolha da Praia para o acolher, Ivan Santos é peremptório em afirmar que este acontecimento cultural tem todas as condições para continuar. É que, segundo Santos, o formato da sua organização, assente na forte parceria entre a Câmara Municipal da Praia (CMP), o Ministério da Cultura, a Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde e FICINE - Fórum Itinerante de Cinema Negro e TXAN FILM vai, decerto, permitir a sua continuidade. Já em relação a escolha da Praia para realização deste evento, o diretor executivo disse que, só o facto de a Praia ser capital do País e pela expressão demográfica que representa para o todo nacional, faz todo sentido, esta opção da CMP e dos seus parceiros